blogzine da chili com carne

sábado, 4 de abril de 2015

lançamento de ASKAR, O GENERAL


ccc@1ªFeira.do.Livro.de.BD.e.Ilustração.Independente


Sim estarão lá os livros...
+ infos aqui

sábado, 28 de março de 2015

Morgue - um caixão de zines para troca!




Na Feira Morta que acontece neste fim-de-semana eis que vai haver um CAIXÃO de troca de zines!
Diz quem teve a ideia - a 1359: troca-troca > troca-troca > troca-troca > troca-troca > troca-troca > leva tua publicação velha, ou nova, mas que não quer mais e troca por outra...

A Chili Com Carne vai lá deixar algumas edições...

ccc@feira.morta.smup

cartaz de André Pereira
O que é preciso dizer mais? 
É a FEIRA MORTA
E é na SMUP
Vai ser bom!
Venham!
Go!
!

André Coelho & Manuel João Neto @ Louie Louie


sexta-feira, 27 de março de 2015

4 fabulosos mini-kus!


O título deste "post" soa pessimamente a sexista, ainda mais quando são quatro autoras! Ah, e não! Não estou a lamber o "ku" a esta malta por terem feito o número especial Portugal / "Desassossego"! Como é normal em qualquer colecção nem sempre tudo o que é editado poderá ser do agrado do público e convenhamos, nem tudo terá a mesma qualidade mesmo que o editor tenha seleccionado as obras segundo um programa que ele ache coerente. Com a mini kuš! já aconteceu isso, números menos bons do que outros, outros geniais (muito poucos) e muitos outros sem graça nenhuma. A colecção para quem não sabe é de formato A6 impresso a cores e com uma BD completa de um autor.
Nesta nova leva de quatro títulos temos um pico de qualidade incrível, os quatro números / as quatro BD's / as quatro autoras são do melhor! A começar por duas finlandesas "veteranas", a Amanda Vähämäki e Terhi Ekebom, a primeira com o seu habitual registo sobre o quotidiano quase-mágico em It's Tuesday mas colorido (o desenho) fugindo à técnica do registo natural a grafite. Ekebom, autora que já esteve presente no saudoso Salão Lisboa 2005, neste Logbook faz uma parábola sobre a dor e doença (e morte?) bastante poderosa e num estilo gráfico diferente do que estava habituado - na verdade há imenso tempo que nada via desta autora e sem dúvida que este mini-livro é um grande regresso. A norte-americana Lala Albert e a francesa Marie Jacotey são uma surpresa como mostram o que são as relações humanas em 2015 com os seus grafismos sujos e desagradáveis (para muitos). Em R.A.T. o "Big Brother" está em grande, mostra um software em que podemos espiar o computador com câmara de outras pessoas - quem espiona, é para eles um passatempo aliás, e é conhecido por ser um "rato". No final a questão quem é que não é "rato" no mundo dos agarrados ao mundo digital. Um mini-livro que deixa em aberto questões de ética. BFF é um triângulo amoroso tão frio que deixa o voyerismo do pecado desarmado, as figuras humanas de Jacotey são tão parecidas com aqueles andróides parvos (vulgo, modelos) das revistas Umbigo ou Dif que nada interessa se andam ou não a comer o cu uns dos outros. Mas com isto não quero deixar a impressão que BFF é fútil, não, é o Ocidente que chegou a este ponto letárgico, e este mini-livro regista isso com perfeição tal como acontece com as BDs de Ruppert & Mulot.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Split-tape de Black Taiga + Melanie is Demented / 15 anos da MMMNNNRRRG



Está pronta a nossa primeira edição fonográfica!!! É uma split-tape com Melanie Is Demented (da Suécia) e Black Taiga (Congo / Portugal / Irlanda)!!! Sim, é uma cassete - ou k7 para os amigos - que é o formato áudio favorito pela MMMNNNRRRG e que assim usa esta edição para começar a celebração dos 15 anos desta editora "só para gente bruta"!



No primeiro projecto, é um "best of" de temas (entre 2008 e 2014) seleccionado por unDJ MMMNNNRRRG, com uma capa desenhada pelo André Lemos + Silvestre. Inclui os seguintes temas:
1. Allting rimmar på dör
2. Sverige är äntligen rasistiskt (ambos de Melanie är demented)
3. God Loves us all (de How to succed in the musicbusiness without really dyuing)
4. The party is over get out (de How to succeed in the waste management business without really dying)
5. Meat (and that's where babies come from) (de How to die institutionalized without any chance of surviving)
6. Congratulations Bob! (de Fuck you and thanks for nothing)
7. Language (de Blind)
8. Ode to simulacra (de MXLXNXXXSDXMXNXTD)

No segundo projecto são só temas inéditos, ou seja, é um novo EP intitulado Festa Privada na Selva:
1. S. Tomé e Príncipe (das Trevas)
2. Marduka
3. Fomos minadas
4. Berço de Sujidade

A capa foi encontrada em Badajoz e a autoria é de Cisco Bellabestia (o ilustrador do regime na Aristas Martinez). A edição é limitada a 66 cópias, cuja a impressão é em risografia pela Duo DesignMundo Fantasma e embalado pela Joana Pires.

À venda na loja em linha da Chili Com Carne.

ATENÇÃO: em Maio Melanie is Demented irá fazer uma mini-tournê por Portugal e Espanha para promover esta k7 e comemorar em (milhões!) de Festas os nossos 15 anos! Vai ser pesado!

terça-feira, 24 de março de 2015

NEURO-TRIP / Nova distribuição livreira!

Já se fala na comemoração dos 15 anos da MMMNNNRRRG mas antes de começarem as comemorações oficiais (uau, que pinta!) vamos colocar todos os títulos do catálogo (ainda disponíveis) no mercado livreiro. Estejam atentos, para muitos será uma forma de ver algumas das obras pela primeira vez. Em Abril, o livro Neuro-Trip do romeno Neuro está de volta às livrarias!

 

Antologia de Ilustração e BD de Neuro, autor romeno que começou a sua carreira artístico com o grupo "The Church" numa procura iconoclasta. Devido às suas raízes ortodoxas Neuro explora as imagens dessa Cristandade fundindo citações de Terence McKenna, super-heróis parasitários, Mechas bacterianos, decorações freaks provando para quem ainda não sabia que nada é Sagrado no Milénio da Banda Larga. Este é o seu primeiro livro, verdadeiro meta-portfolio de imagens alucinantes.
...
160 páginas 16,5x23cm p/b + vermelho; capa a preto, vermelho e prateado, 500 exemplares, ISBN: 978-972-98527-9-4
...
algumas páginas:

...
Historial : Lançado na Festa Laica, Trem Azul em 2011 ...
...
PVP: 15€ (50% desconto sócios CCC, lojas e jornalistas) à venda na shop da CCC, Matéria PrimaAnthony Frost Libreria Englesa, Jumatatea Plina, Kingpin Books, Fábrica Features, Mundo FantasmaStaalplaatBolido de Fuego, Utopia, Objectos MisturadosNeurotitanLetra Livre, XYZ BooksLambiek e Orbital.
...
Feedback : Cool stuff Aleksandar Zograf ... Nice drawings in the Neuro trip book! Reminds me a bit of Blair Wilson's work. Marcel Ruijters ...

Bestiário Ilustrissímo II : Bala n'O Homem Que Sabia Demais e 5 ESTRELAS no jazz.pt!



Bestiário Ilustríssimo II /  Bala 
é o nono e novo título da provocante colecção THISCOvery CCCHannel.
...

Bestiário Ilustríssimo II / Bala é a continuação de Bestiário Ilustríssimo, “(anti-)enciclopédia” de Rui Eduardo Paes sobre as músicas criativas editada em 2012 e reeditada em 2014 com nova capa e novas ilustrações de Joana Pires. Como esse primeiro livro, está dividido em 50 capítulos, cada um dedicado a uma figura ou conjunto de figuras. Desta feita, porém, a 50ª parte autonomiza-se e constitui como que um outro livro. Trata-se, pois, de dois livros num só volume, um novamente ilustrado por Joana Pires, o outro por David de Campos.  

O jazz criativo, a música livremente improvisada, o rock alternativo e os experimentalismos sem rótulo possível voltam a ser as áreas cobertas, sempre associando os temas com questões da filosofia, da sociologia e da teoria política, num trabalho de análise e desmontagem das ideias por detrás dos sons ou das implicações destes numa realidade complexa. Os textos reenviam-se entre si gerando temáticas que vão sendo detectadas pelo próprio leitor, mas diferentemente de Bestiário Ilustríssimo há um tema geral nesta nova obra de Paes: o tempo.

A tese é a de que quem escreve sobre música, mas também todos os que a ouvem, está sempre num tempo atrasado em relação à própria música, um “tempo-de-bala”, de suspensão de um tiro no ar, como no filme Matrix. O alinhamento dos capítulos não se organiza segundo tendências musicais ou arrumando os nomes referidos em sucessão alfabética, como numa convencional enciclopédia. Todos os protagonistas e suas músicas surgem intencionalmente misturados, numa simulação do caos informativo em que vivemos nos nossos dias. Propõe-se, assim, que se leia Bestiário Ilustríssimo II / Bala como se se navegasse pela Internet, procurando caminhos, relações, cruzamentos, desvios.

A mente não é uma estante, é um bisturi.

---
336p. impressas a duas cores (preto e vermelho), 22x16cm, capa a cores
---
volume -4 da colecção THISCOvey CCChannel
---
ISBN: 978-989-8363-30-5

com prefácios de Marco Scarassatti (compositor, artista sonoro e professor da Universidade de Minas Gerais, Brasil) e Gil Dionísio (músico)

---
edição apoiada pelo IPDJ e Cleanfeed Records

---

PVP: 20€ (50% desconto para sócios, jornalistas e lojas) à venda na loja em linha da Chili Com Carne e na FlurLetra Livre, Artes & Letras, Linha de Sombra, Matéria Prima, FNAC, Bertrand, Utopia, El Pep...
---


Historial: lançamento 6 de Fevereiro na Casa dos Amigos do Minho com discursos de Gonçalo Falcão (designer, músico, crítico de música) e Gil Dionísio e concerto de uma banda especialmente formada para o efeito: Gil Dionísio & Os Rapazes Futuristas; lançamento 7 de Fevereiro na SMUP (Parede) com palavreado de Pedro Costa (Clean Feed) e José Mendes (jornalista cultural) e concertos de Wind Trio e Presidente Drógado & Banda Suporte ... entrevista no Bodyspace 

...

algumas páginas deste livro-duplo:


Feedback: O jazz é o fogo inicial, mas este propaga-se alto e largamente. REP deita 50 + 50 textos, capa-contra-capa, neste duplo Bestiário Ilustríssimo II / Bala. Música como arte física mas também psicológica, improvisada, estruturada, Ciência, Arte, ícones culturais, tonelada de referências que se ligam na cabeça do autor para uma organização, no papel, em benefício do leitor. Muitos músculos exercitados em 31 anos, nesta relação entre escrita e música. Flur ... Rui Eduardo Paes revela-se um homem multidimensional, (...) Genuíno e sempre com uma abordagem de quem relaciona aquilo que lhe interessa, de Joëlle Léandre a Lady Gaga. [5 estrelas] Bernardo Álvares in jazz.pt ... O seu estilo de escrita é por si altamente estimulante, revelando um notável domínio sobre a língua portuguesa que raia as características da boa literatura. Um estilo que Rui Eduardo Paes cultiva como uma arma contra o habitual cinzentismo e comodismo da crítica de arte em Portugal. O Homem que Sabia Demais ...

segunda-feira, 23 de março de 2015

A Segunda Vida de Djon de Nha Bia / ÚLTIMOS EXEMPLARES

Este livro de Nuno Rebocho é uma obra maior da literatura lusófona. É uma grande alegoria das relações de poder entre os homens. A narrativa passa-se num arquipélago imaginário, onde de tudo um pouco acontece. É uma obra que, além de muito divertida, tem um conteúdo político (no sentido nobre, aristotélico, da palavra) muito agudo. Além disso, sendo escrita num português de latitudes mais quentes, é uma lufada fresca de palavras e expressões novas. Um grande livro, sem dúvida!

sobre o autor: Nuno Rebocho nasceu em 1945; opositor do salazarismo, foi jornalista e interventor cultural antes e depois do 25 de Abril. Foi jornalista na RDP, Antena 1 e 2, durante muitos anos. Recentemente passou a viver em Cabo Verde, enraízando-se nesse arquipélago lusófono. Publicou vários livros de poesia e de crónicas. Ultimamente tem desenvolvido uma poderosa linha narrativa em que o Djon é um dos primeiros títulos a ser revelado ao público. 

Sinopse O livro conta as aventuras de um tipo que sai para fora do caixão no seu próprio velório. Desse acontecimento só há uma testemunha meio bêbeda. A partir daí, o herói desta espécie de fábula irá percorrer a sua ilha, primeiro, e outras ilhas em busca do sentido de estar morto. Nessas ilhas acontece de tudo um pouco: os mortos votam nas eleições, o diabo aparece, há um doutor que faz chantagem e até uma das ilhas tem um rei. Enquanto o herói percorre as ilhas, na sua ilha de origem desenvolve-se todo um culto em torno da sua figura ressuscitada, com templos, restaurantes, e todo um conjunto de actividades económicas associadas ao fenómeno de um local sagrado.

Excerto Quando a carapinha lhe emergiu do caixão, Djon percebeu que estava morto. Fora da sala era a rua e de lá vinha a batida da tabanka, oca e ondeada, e uma voz narradora que entretinha a comezaina aconchegante do velório. Família e demais abancavam no terreiro, digerindo a noite antecedente ao funeral, que seria pela manhã.
...
Nono volume da Colecção CCC editado por Marcos Farrajota e Rafael Dionísio, prefácio de Luíz Carlos Amorim, capa de Jucifer, design de João Cunha, ISBN: 978-989-8363-01-5
...
PVP: 15€ (50% para sócios, lojas e jornalistas)
à venda no site da CCCLetra Livre, Fábrica FeaturesArtes & Letras, Luar (Maputo) *** E-BOOK: todoebook.com
...
Historial: Lançado na XVI Feira Laica ... Apresentação pelo Prof. Dr. Luis Filipe Tavares (Universidade Piaget) na Cidade da Praia, Cabo Verde (08/07/10) ... brevemente algumas apresentações em Portugal ... Apresentação por Rafael Dionísio no Centro Interculturacidade (16/09/19)
...
Feedback: primeiro romance da autoria de Nuno Rebocho, escritor português radicado em Cabo Verde. Trata-se de estória salgada de crioulidade, onde o mágico e as driabruras se entrecruzam em artimanhas que envolvem mortos ressuscitados em revolta e o derrube de poderes vivos, santos sem vocação, fundamentalistas irredentos e muita tropelia que fez a vivência de um país chamado Arquipélago, igual a tantos arquipélagos que são países e a países que são, por isso mesmo, arquipélagos. Com humor e ironia, o autor traduz o insólito como realidade, mas onde quaisquer semelhanças com realidades conhecidas são mal-deliberadas coincidências, numa escrita colorida e cáustica para o novo acordo ortográfico adoptado pelos países lusófonos. Porosidade Etérea alegoria política de quem quem quer ajustar contas com o mundo, como "Animal Farm", de Orwell, ou "Aventuras de João Sem Medo", de José Gomes Ferreira. Os Meus Livros